Bosch e Twitter divulgam pesquisa sobre casa conectada

Inovação
0 0 Sem Comentários

A Bosch realizou em conjunto com o Twitter uma pesquisa com foco nas casas inteligentes. Os resultados mostram que uma casa conectada pode fazer mais do que a maioria dos entrevistados achava ser possível.

A casa conectada é algo importante no dia a dia dos britânicos e americanos – 60% responderam que gostariam de poder controlar seus lares enquanto estão na estrada, a viajar de comboio ou carro, por exemplo. Entre os espanhóis, alemães e austríacos este desejo cai pela metade, mas entre os franceses este número sobe para 45%.

A comparação entre os países é bastante similar quando os entrevistados estão com pressa, situação em que a maioria das mulheres acredita poder aproveitar dos benefícios de uma casa inteligente. Este desejo também é comum entre os entrevistados mais jovens (16 a 24 anos), que desejam uma casa conectada principalmente quando estão deitados no sofá.  A ideia de poder ter acesso à residência enquanto se está de férias também causa fascínio entre os entrevistados dos diferentes países, independentemente da idade e do género, quer seja para tomar conta das coisas ou para ligar o aquecimento antes de voltar para casa.

Economizar energia é um diferencial importante

A potencial economia de energia que pode ser gerada a partir do desligar automático do aquecimento quando as janelas estiverem abertas, foi algo que chamou a atenção dos entrevistados. Os espanhóis, franceses e ingleses, em particular, mostraram-se interessados em economizar, visto que cerca de 75% consideraram a redução de custos com energia elétrica um argumento convincente. Esta também foi a resposta mais comum entre os alemães que participaram da pesquisa. Os aspectos financeiros, mais do que os ecológicos, também tornam as possibilidades de economia de energia interessantes em países como a Espanha, França e Inglaterra.

Férias sem preocupações

A tranquilidade e a segurança vêm em segundo e terceiro lugar respectivamente e foram citadas por cerca de 60% dos entrevistados. Uma casa inteligente, que aciona automaticamente um alarme se um intruso invadir o local avisando os moradores por meio de uma mensagem no smartphone, é tão impressionante quanto a ideia de poder cuidar das coisas, a qualquer momento, via uma câmera conectada. A questão da segurança tem um papel particularmente importante junto as mulheres. Outro dado relevante é que apenas um terço dos entrevistados da pesquisa acha especialmente conveniente poder preparar um cappuccino enquanto ainda estão na cama e é aqui que os franceses deram o tom: 42% acham muito bom encontrar uma xícara de café com leite pronta quando entrarem na cozinha logo pela manhã.

Confiança na casa conectada

Uma casa inteligente permite que o dia a dia seja mais conveniente, económico e seguro, mas muitos dos inquiridos da pesquisa desconhecem o que uma casa conectada já é capaz de fazer. Enquanto dois terços dos entrevistados sabem que a casa inteligente pode desligar as luzes automaticamente quando saem, apenas 22% imaginam que o forno pode sugerir receitas. Na comparação entre os países, a confiança no que a tecnologia de uma casa inteligente pode fazer é maior entre os franceses quando comparados aos britânicos, americanos e austríacos. Por outro lado, os alemães e os espanhóis consideram que as atuais tecnologias das casas conectadas já são futuristas.

Investimentos e proteção de dados

Quando perguntados sobre as razões para ainda não terem uma casa conectada, mais da metade dos entrevistados citaram os altos custos iniciais, embora este fato se torne menos importante com a idade. Outro item que apareceu na pesquisa refere-se à proteção de dados, que é uma preocupação significativa para um terço dos participantes da pesquisa. De forma geral, todas as soluções para casa inteligente que a Bosch desenvolve atendem às mais altas normas de segurança e cada utilizador pode decidir quais dados devem permanecer dentro da casa ou serem carregados na nuvem.

A pesquisa mostrou ainda que 31% dos entrevistados jamais tinham pensado numa casa conectada antes. Isto é bastante surpreendente, especialmente considerando as muitas áreas em que uma casa inteligente pode ser útil. Mas pelo menos uma em cada dez pessoas na Alemanha e na Áustria já moram em uma casa conectada ou pelo menos planeiam fazer isso, mais do que nos outros países pesquisados.

Internet é a principal fonte de informação

Dois de cada três entrevistados indicaram que visitam websites de fabricantes e comerciantes antes de comprar aplicações de casa inteligente. Além disso, 42% deles confiam em blogs e fóruns. Assim, a Internet é claramente a principal fonte de informação. Lojas e retalhistas de material de construção vêm apenas em terceiro lugar com 35%.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor