BlackBerry prepara entrada na IoT e carros autónomos

EmpresasInovaçãoMobilidadeSmartphonesSO
0 0 Sem Comentários

A empresa canadiana que em tempos dominou o mercado está a vender cada vez menos smartphones e por isso pretende investir noutros segmentos. A Internet das Coisas (IoT) e tecnologias para carros autónomos são duas das apostas da BlackBerry para 2016.

O anúncio das várias novidades será feito dentro de três semanas, durante a feira de eletrónica de consumo CES 2016, em Las Vegas. Foi o próprio CEO John Chen quem revelou os planos, na conferência com analistas após o lançamento dos resultados trimestrais.

“Vão ver as nossas tecnologias e soluções avançadas para condução assistida”, prometeu o executivo, que tem investido na área de segurança e sistemas de bordo para carros. A empresa anunciou há uns dias que o sistema operativo QNX será integrado na tecnologia de visão por computador e rastreamento de objetos da empresa suíça Luxoft, numa parceria para o desenvolvimento de soluções de carros semi-autónomos. Isto é, funcionalidades que permitem aos carros manter-se na sua faixa em curvas difíceis, por exemplo, ou travar automaticamente quando os sensores detetam a proximidade de outro veículo. Os anúncios no CES irão mais além, para os carros autónomos.

QNX já é usado nos sistemas de bordo de milhões de carros, como é o caso dos Ford, e agora Chen quer pô-lo também a conectar aparelhos na Internet das Coisas. O CEO foi cauteloso na forma como explicou os planos da fabricante. Não ficou claro se a BlackBerry vai lançar novo hardware IoT, mas apenas que será revelada uma iniciativa nesta área.

O software é, sem dúvida, o melhor que a BlackBerry tem para mostrar. Nos resultados do terceiro trimestre, apresentados esta sexta-feira, as receitas de licenças de software cresceram 43% e o QNX foi o maior responsável. O sistema foi comprado pela empresa em 2010 e chegou a entrar no tablet PlayBook, passando depois a base para o BlackBery 10 OS.

“Estou satisfeito com o progresso contínuo das prioridades da BlackBerry, que levaram a um crescimento sequencial das receitas de 14% no terceiro trimestre”, afirmou o executivo. “Conseguimos crescimento acelerado no software empresarial e receitas mais elevadas em todas as áreas de foco.”

Não foi o caso dos smartphones – a BlackBerry vendeu um total de 700 mil dispositivos, um mínimo de oito anos, apesar de a unidade estar à beira do break-even. O estancar dos prejuízos poderá acontecer já no próximo trimestre, e os resultados animaram os analistas. O novo modelo Priv está nas lojas desde novembro e a intenção é agora expandir a sua disponibilidade e acordos com operadoras de telecomunicações.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor