BlackBerry falha estimativas para o terceiro trimestre

Negócios

As receitas da BlackBerry para o terceiro trimestre sofreram uma queda maior do que aquela que a fabricante de telemóveis havia antecipado, arrastando consigo as ações, que têm, em vão, lutado por alcançar valores mais elevados. Apesar de ter registado uma ligeira melhoria dos lucros e de ter observado uma revitalização, ainda que muito discreta,

As receitas da BlackBerry para o terceiro trimestre sofreram uma queda maior do que aquela que a fabricante de telemóveis havia antecipado, arrastando consigo as ações, que têm, em vão, lutado por alcançar valores mais elevados.

BlackBerry  Chen

Apesar de ter registado uma ligeira melhoria dos lucros e de ter observado uma revitalização, ainda que muito discreta, do fluxo de capital, a empresa canadiana viu as suas receitas tropeçaram e caírem dos 1,19 mil milhões de dólares, conseguidos em 2013, para os 793 milhões de dólares. Este resultado ficou muito aquém das estimativas dos analistas, que apontavam para receitas na casa dos 931,5 milhões de dólares.

O diretor executivo da BlackBerry, John Chen, afirmou que as vendas trimestrais de hardware não atingiram os objetivos previamente estabelecidos, traduzindo-se numa redução da produção, o que levou a que a empresa somente conseguisse atender às encomendas de dispositivos no início do quarto trimestre.

No terceiro trimestre, contudo, o fluxo de capital, ou cash flow, da BlackBerry refletiu resultados positivos, subindo aos 43 milhões de dólares. Comparativamente aos 36 milhões de dólares registados no segundo trimestre, os resultados figuram como uma luz ao fundo do túnel num período em que a prestação da canadiana não foi das melhores.

A BlackBerry comunicou uma perda líquida de cerca de 148 milhões de dólares (28 cêntimos por cada ação) para o período trimestral que terminou no passado dia 29 de novembro. Não obstante, este valor traduz uma melhoria, visto que em 2013 a empresa sofreu uma perda de 4,4 mil milhões de dólares (8,37 dólares por ação).

A fabricante de telemóveis concluiu hoje o seu negócio com a empresa privada alemã Secusmart, que especializa-se na encriptação de voz e de dados. Com esta aquisição, a BlackBerry espera elevar os padrões de segurança dos seus dispositivos, amplamente utilizados pelos membros de entidades governamentais, que priorizam a proteção dos dados contidos nos seus telemóveis.

“A aquisição da Secusmart evidencia o intento da BlackBerry para tornar-se a melhor em matéria de segurança de mobilidade empresarial”, disse o CEO Chen.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor