BlackBerry compra WatchDox e reforça segurança dos produtos

Negócios

A BlackBerry disse que vai comprar a norte-americana WatchDox, fabricante de soluções de proteção de dados, que serve desde o setor financeiro até alguns estúdios de Hollywood. Com este negócio, a tecnológica canadiana quer reforçar a segurança das suas soluções e dispositivos, utilizados em larga escala por membros de várias entidades governamentais. Através dos programas

A BlackBerry disse que vai comprar a norte-americana WatchDox, fabricante de soluções de proteção de dados, que serve desde o setor financeiro até alguns estúdios de Hollywood. Com este negócio, a tecnológica canadiana quer reforçar a segurança das suas soluções e dispositivos, utilizados em larga escala por membros de várias entidades governamentais.

blackberry-sign-2938

Através dos programas da WatchDox, os utilizadores poderão controlar a edição, duplicação, impressão e envio de documentos. Por seu lado, os gestores de redes conseguem restringir o acesso a determinados ficheiros, ou eliminá-los remotamente, mesmo depois de estes terem abandonado a rede da empresa.

Os detalhes do negócio não são ainda conhecidos, mas o Wall Street Journal, citando fontes, revelou que a fabricante canadiana de telemóveis irá desembolsar cerca de 70 milhões de dólares pela WatchDox.

A Forbes diz que o negócio vai permitir que a BlackBerry aprofunde as suas raízes no setor dos serviços de segurança na cloud mobile.

O diretor de corporate development da BlackBerry, Jim Mackey, disse que a empresa canadiana vai procurar fortalecer rapidamente o negócio da WatchDox. Por sua vez, o CEO John Chen revelou no início deste ano, de acordo com a Reuters, que o crescimento das receitas de software seria motorizado pela aquisição de empresas cujas soluções permitam à BlackBerry otimizar os seus produtos e serviços.

As empresas que a BlackBerry tem vindo a adquirir permitem-lhe muscular o seu portfólio de segurança, procurando aplacar as exigências e necessidades do seu público-alvo, constituído maioritariamente por agências governamentais e empresas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor