Bizdirect com receitas de 28,8 milhões no primeiro semestre de 2017

GestãoNegóciosResultados

A empresa do Grupo Sonae registou um crescimento de 23% no volume de negócios, em relação ao mesmo período ano anterior, e atingiu 28,8 milhões de euros de receitas, o que corresponde a um aumento de 13% face às suas previsões. 

A Bizdirect fecha assim os primeiros 6 meses do ano com resultados positivos sendo que a nível operacional, ficou 53% acima do ano anterior. Isto é reflexo do crescimento da receita e da evolução positiva da margem nas diversas áreas de negócio.

A receita internacional da empresa representou 2,4 milhões de euros, o que corresponde a cerca de 7% da receita total. Este será certamente um segmento que a tecnológica continuar a explorar no decurso do ano e no futuro.

“Assistiu-se no primeiro semestre de 2017 a um maior dinâmica na área de produtos e serviços de Cloud com o mercado português a gradualmente seguir as tendências de crescimento perspetivadas nesta área. Reflexo disto é uma performance bastante positiva da unidade de negócio de Cloud, focada em gestão de contratos corporativos Microsoft, venda de infraestrutura e produtos e serviços de Cloud, que cresceu mais de 20% face ao mesmo período do ano anterior”, afirma, em comunicado, Sapna Govindji, CFO da Bizdirect.

De acordo com a Bizdirect, o seu Centro de Competências em tecnologia Microsoft, situado em Viseu, continua a ganhar notoriedade no mercado nacional e europeu, tendo conquistado no primeiro semestre 6 novos clientes. Tal acontece não só pelas competências oferecidas pela equipa, como pela qualidade na entrega dos projetos adjudicados.

Na gestão de contratos corporativos nas áreas empresariais para a Microsoft Portugal, a Bizdirect continua a gerir mais de 150 contratos de licenciamento de software.

Em relação ao segundo semestre de 2017, João Mira Santiago, CEO da Bizdirect, indica que a empresa “continuará focada na sua estratégia de crescimento internacional suportada no Centro de Competências de Viseu, alargando as competências oferecidas em modelo de Nearshore. Em Portugal a aposta passa por acelerar o desenvolvimento dos serviços de Cloud e apostar no crescimento da cadeira de valor na área de Soluções com a componente de consultoria e processos.”

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor