Bancos Centrais devem pensar bem antes de criar criptomoeda

FinançasNegócios

O Bank for International Settlements aconselhou os bancos centrais a pensar muito sobre os potenciais riscos antes de emitir a sua própria criptomoeda.

O Bank for International Settlements (BIS) aconselhou os bancos centrais a pensar muito sobre os potenciais riscos antes de emitir a sua própria criptomoeda.

O relatório de dois comités do BIS, um fórum que tem como membros a Reserva Federal dos Estados Unidos e o Banco Central Europeu, desconfia dos bancos centrais que emitem a sua própria moeda digital do banco central ou criptomoeda.

“Há riscos que não entendemos completamente neste momento”, disse Jacqueline Loh, presidente do comité de mercados do BIS. “Qualquer passo para um possível lançamento de uma criptomoeda deve ser sujeito a uma consideração cuidadosa e minuciosa”, acrescentou Loh, que também é vice-diretor-gerente da Autoridade Monetária de Singapura.

O relatório analisa o possível impacto de uma criptomoeda “por atacado” apenas para uma audiência limitada, como bancos e uma versão “retalhista” para todos. Benoit Coeure, que preside o comité do BIS sobre pagamentos e infraestrutura de mercado, disse que havia mais cautela com as “águas inexploradas” de uma criptomoeda de retalho.

Pode afetar os depósitos, uma fonte importante de financiamento para os bancos comerciais, com implicações para a estabilidade financeira em tempos de stress no mercado. Não há evidências de que as moedas digitais permitem aos bancos centrais implementarem a política monetária melhor do que as ferramentas que já possuem.

Nenhum banco emitiu uma criptomoeda, embora o Riksbank na Suécia, onde a utilização de dinheiro caiu, está estudando um e-krona de retalho para pequenos pagamentos. A instituição disse no mês passado que o estudo não será finalizado até o final de 2019.