Banco suíço atacado após ter recusado pagamento a hackers

Segurança

Um banco suíço foi vítima de um ataque cibernético lançado por um grupo auto-intitulado Rex Mundi. Depois de ter, em vão, exigido um resgate de dez mil euros pelos dados apreendidos, o grupo difundiu na Internet as informações a que deitou a mão. O Banque Cantonale de Geneve (BCGE) revelou ter sido alvo de um

Um banco suíço foi vítima de um ataque cibernético lançado por um grupo auto-intitulado Rex Mundi. Depois de ter, em vão, exigido um resgate de dez mil euros pelos dados apreendidos, o grupo difundiu na Internet as informações a que deitou a mão.

hacker01

O Banque Cantonale de Geneve (BCGE) revelou ter sido alvo de um ataque por um grupo de hackers, que exigira uma quantia de dez mil euros pela recuperação dos dados. Frustrado pela recusa da entidade bancária suíça, o Rex Mundi divulgou na internet mais de 30 mil emails trocados entre o BCGE e os seus clientes.

Ao que parece, os hackers alvejaram os servidores que suportam a comunicação entre o banco e os seus clientes, assegurando, paralelamente, que os sistemas internos e as contas bancárias teriam saído ilesas desta investida.

Oficiais do BCGE afirmaram que os dados divulgados dificilmente colocarão em risco a segurança das contas dos seus clientes, visto não acarretarem qualquer valor intrínseco.

Uma porta-voz avançou à Reuters que os 30,192 mil emails capturados pelos criminosos, que dizem tanto respeito a clientes suíços como a clientes estrangeiros, foram, segundo consta, publicados na Internet. A responsável acrescentou que os dados revelados foram extraídos de inquéritos online realizados pelo banco aos seus clientes.

Os ataques aos sistemas informáticos de entidades bancárias têm, nos últimos anos, vindo a crescer. A cada vez maior exposição digital dos bancos, e das informações e dados que eles armazenam, torna-os vulneráveis às exponencialmente sofisticadas técnicas que alicerçam o cibercrime dos dias de hoje. Sendo a Suíça o Éden fiscal que é, torna-se um alvo apetecível para os perpetradores do universo digital.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor