Ataque de ransomware de larga escala afeta empresas portuguesas e europeias

Segurança

Vários computadores em Espanha foram bloqueados num ataque de larga escala que afetou, entre outras organizações, a Telefónica. Noticias mais recentes dão conta que algumas empresas em Portugal Inglaterra e Alemanha também estão a ser vítimas de ataques cibernéticos. O Observador refere que a Portugal Telecom, a EDP e a NOS estão entre as companhias afetadas.

Em declarações ao jornal Público, Carlos Cabreiro, diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica da Polícia Judiciária, confirmou a situação e afirmou que estamos perante “uma campanha de distribuição de ransomware, que se caracteriza pela encriptação dos dados dos computadores com pedido de resgate para o seu desbloqueio”.

“Não podemos dizer se são dezenas ou centenas, são essencialmente operadores de comunicação” referiu o responsável,ao diário português, sobre o número de empresas afetadas.

Hoje de manhã, o governo espanhol tinha alertado que um grande número de empresas foi atacado por criminosos cibernéticos que infectaram computadores com software malicioso. Os dispositivos alvo de ataque têm todos sistema operativo Windows.

As vítimas incluíram a Telefónica, a maior empresa de telecomunicações do país, enquanto outras empresas espanholas, como a eléctrica Iberdrola e a concessionária Gas Natural, tomaram medidas preventivas e desligaram as suas redes.

“Houve um alerta relativo a um ataque maciço de ransomware em várias organizações, que está a afetar os sistemas Windows,” indicou o Centro Criptológico Nacional CCN-CERT de Espanha.

A Vodafone Espanha e a Vodafone Portugal já vieram, através de comunicados, desmentir que tenham sido alvo de ataques. Já a EDP desligou alguns computadores preventivamente e há relatos, de acordo com O Observador, que a Portugal Telecom deu ordem para que a rede interna fosse desligada. No Reino Unido, segundo o The Guardian, as entidades atingidas foram hospitais.

O ransomware que está a afetar as empresas europeias é uma versão do vírus WannaCry, estando os hackers a solicitar o equivalente a 300 euros em Bitcoins por computador para o desbloqueio, indica o Silicon.es.

Este aparenta ser o incidente mais grave do ano na Europa, até ao momento, embora não sejam ainda conhecidos todos os detalhes e danos causados.  De referir, ainda, que as empresas de segurança cibernética tinham previsto e alertado que o ano de 2017 seria fértil neste tipo de ataque, dado o seu atrativo financeiro para os cibercriminosos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor