Apple lança novo iPod enquanto busca popularizar o seu serviço de streaming

AppsEmpresasEscritórioMobilidadeNegóciosSistemas OperativosSmartphonesTablets

A empresa da maçã lançou ontem a nova geração do modelo iPod touch, num momento em que a empresa ainda procura aumentar a notoriedade do seu novo serviço de streaming de música, o Apple Music.

O novo iPod tem uma câmera iSight de 8 megapíxeis, câmara FaceTime de alta definição e um chip A8 desenhado pela Apple, que também é utilizado nos iPhone 6 e iPhone 6 Plus.

O iPod, que dará acesso ao Apple Music por meio da App Store, também conta com processador M8 de detecção de movimento para ginástica e exercícios físicos, como corridas e caminhadas.

O novo aparelho já está disponível nas lojas online da marca nos Estados Unidos e no Brasil. Nos EUA, o modelo é vendido a partir de módicos 199 dólares pelo modelo de 16 GB, 249 dólares para o modelo de 32GB e 299 dólares para 64 GB.

Já o modelo mais robusto, com capacidade de 128 GB de armazenamento, é comercializado pela primeira vez. ao custo de 399 dólares..

Apesar da estratégia de aliar as vendas do iPod Touch com o consumo de músicas pelo Apple Music, a empresa enfrenta um problema atrás do outro, desde a estreia do serviço, no último mês.

Algumas das pedras no sapato da Apple foram os protestos da cantora Tailor Swift, que reclamava da comercialização de canções sem compensação dos artistas, que aconteceria inicialmente sob a desculpa de que o negócio ocorreria durante um período de degustação dos utilizadores.

Após alguns dias a empresa decidiu voltar atrás, ao anunciar que pagaria toda e qualquer execução de músicas no seu serviço, com ou sem o pagamento advindo dos seus clientes.

Além disso, a companhia sediada em Cupertino, no estado da Califórnia (EUA) enfrenta sérias acusações antitrust que partem de concorrentes como Deezer, Spotify, Rapsody e Rdio.

Os players queixam-se da diferença de tratamento dada ao Apple Music, já que por pertencer ao conglomerado da Apple, a novidade sairia em vantagem, por não pagar os 30% de comissão sobre qualquer venda – seja de aplicação ou de conteúdo – que serve de condição básica para todos que desejam oferecer as suas apps aos utilizadores de iPhones, iPads e iPod Touchs.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor