Apple derruba Xiaomi e assume liderança na China

MobilidadeSmartphones

Mesmo com o negócio de smartphones a caminho de uma possível e inédita retração, reflexo direto da saturação do mercado, a China não deixa de atrair muita atenção. É o maior mercado do planeta, com uma economia crescente e muita vontade de consumir. Nessa economia galopante, a Xiaomi cresceu de forma explosiva, em poucos anos destronando

Mesmo com o negócio de smartphones a caminho de uma possível e inédita retração, reflexo direto da saturação do mercado, a China não deixa de atrair muita atenção. É o maior mercado do planeta, com uma economia crescente e muita vontade de consumir.

iPhone 6

Nessa economia galopante, a Xiaomi cresceu de forma explosiva, em poucos anos destronando a Samsung e assumindo a liderança no mercado dos dispositivos móveis na China. Mas eis que uma empresa ocidental toma a frente do mercado chinês…

Os grandes ecrãs do iPhone 6 e do iPhone 6 Plus deixaram os chineses apaixonados e fizeram a participação da Apple crescer em 62,1%, derrubando a Xioami, que até então parecia intocável. Com a escalada, a Apple ficou com 14,5% do mercado. A Xiaomi ficou logo atrás, com uns respeitáveis 13,5%.

A Huawei manteve o seu terceiro lugar, com 11,2%. Já a Samsung, sofreu uma perda de mais da metade (-53%) da sua participação em relação ao ano passado, tendo sua fatia reduzida para 9,6%.

A Lenovo, em quinto lugar, também perdeu participação: foi para 8,2%,uma redução de mais de 22% em relação a 2014.

Segundo a IDC, um dos fenómenos observados na China é o amadurecimento do consumidor, que agora não quer apenas aparelhos de baixo custo, mas também procura os dispositivos de gama, com melhor desempenho, acabamento e componentes, uma forma de se destacar. A escalada da Apple dá claros sinais dessa tendência, que tanto a Xiaomi quanto a Huawei já seguem, com lançamentos de última geração.

*Jocelyn Auricchio é jornalista da B!T no Brasil


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor