Antigo executivo da Qualcomm admite tráfico de influências

ComponentesEmpresasEscritórioNegócios

Informações privilegiadas sobre a compra da Atheros Communications pela Qualcomm resultou num processo que envolve ex-executivos que terão beneficiado das suas posições para lucrar no mercado da bolsa. Derek Cohen admitiu ser culpado mas já não é o primeiro. O caso remonta a 2011 e envolve um grupo de executivos da Qualcomm que terão beneficiado

Informações privilegiadas sobre a compra da Atheros Communications pela Qualcomm resultou num processo que envolve ex-executivos que terão beneficiado das suas posições para lucrar no mercado da bolsa. Derek Cohen admitiu ser culpado mas já não é o primeiro.

Qualcomm

O caso remonta a 2011 e envolve um grupo de executivos da Qualcomm que terão beneficiado do acesso a informações privilegiados em relação aos negócios da empresa. Derek Cohen é um dos ex-executivos acusados e admitiu, ontem, ser culpado.

No entanto, a admissão de culpa de Cohen surge como último recurso já que, inicialmente, declarou-se inocente relativamente a todos os crimes. O antigo executivo da Qualcomm terá gastado aproximadamente 430 mil dólares em ações que sabia que seriam valorizadas em breve.

As declarações são avançadas pela Procuradoria Geral norte-americana que explica que Cohen admitiu ter arrecadado cerca de 200 mil dólares de lucro através da aquisição dessas ações, opção tomada com o conhecimento de que a Qualcomm demonstrava intenções de comprar a Atheros Communications.

Derek Cohen não é o primeiro a alterar a sua declaração inicial, sendo já o quinto a admitir culpa no caso e ligações ao negócio que rendeu milhares de dólares. Como penalização, Cohen aceitou abdicar dos 200 mil dólares e entregá-los ao governo norte-americano e poderá ainda enfrentar uma pena de 20 anos de prisão. Como consequência poderá ter de pagar uma multa de até cinco milhões de dólares.

Entre os restantes envolvidos no processo encontram-se Robert Herman, antigo diretor de vendas, Michael Fleischli, Jing Wang, antigo vice-presidente executivo, e Gary Yin, antigo vice-presidente da gestora financeira Merril Lynch. Todos eles admitiram-se culpados.

À exceção de Cohen, Jim Wang foi quem arrecadou um valor mais alto através do acesso às informações privelegiadas tendo somado cerca de 240 mil dólares.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor