Amazon leva a tribunal críticas falsas no site

e-Commercee-Marketing

Pela primeira vez, a Amazon apresentou um processo contra empresas que têm como negócio vender críticas fabricadas sobre produtos vendidos na plataforma de e-commerce. As acusações incluem violações de direitos dos consumidores e de marca registada. Quando, há 20 anos, a Amazon implementou o sistema de críticas no seu site talvez já tivesse equacionado a

Pela primeira vez, a Amazon apresentou um processo contra empresas que têm como negócio vender críticas fabricadas sobre produtos vendidos na plataforma de e-commerce. As acusações incluem violações de direitos dos consumidores e de marca registada.

Amazon

Quando, há 20 anos, a Amazon implementou o sistema de críticas no seu site talvez já tivesse equacionado a hipótese de surgirem testemunhos falsos, sejam eles positivos ou negativos. No entanto, a empresa poderá não ter considerado que as críticas falsas se poderiam tornar num negócio.

Várias empresas têm oferecido os seus serviços a utilizadores da plataforma de comércio online da Amazon, garantindo determinado número de comentários positivos em troca de um pagamento em dinheiro. Tendo em conta a proliferação deste tipo de negócio, os vendedores presentes no site estarão a encontrar benefícios nestes serviços já que o número de críticas positivas tem, comprovadamente, influência no processo de compra.

Agora, pela primeira vez, a Amazon vai processar pelo menos três fornecedores desta atividade que considera fraudulenta. Dos nomes revelados surgem Jay Gentile e dois sites alojados em buyamazonreviews.com e buyazonreviews.com.

Dados os nomes atribuídos aos sites, as acusações prendem-se não só com a questão ética, devido à publicidade enganosa, mas também com a infração de marca registada. De acordo com a Amazon, estas práticas colocam em causa a relação de confiança entre os clientes e a plataforma e prejudicam os restantes vendedores presentes no site que não utilizam estas estratégias enganadoras.

No processo, entregue em tribunal, a Amazon pede que sejam tomadas medidas tendo em vista o encerramento destes negócios bem como a cessação do uso da imagem e marca da empresa para divulgarem os seus serviços.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor