Amazon está sob a lupa da Comissão Europeia

InovaçãoInvestigaçãoNegócios

A Comissão Europeia acaba de abrir uma investigação ao negócio de venda de livros digitais da Amazon. Sustentado em suspeitas de infração de leis antitrust, o escrutínio é o mais recente esforço da CE para atenuar a força avassaladora das tecnológicas norte-americanas no Velho Continente. A Comissão Europeia vai analisar algumas das cláusulas patentes nos

A Comissão Europeia acaba de abrir uma investigação ao negócio de venda de livros digitais da Amazon. Sustentado em suspeitas de infração de leis antitrust, o escrutínio é o mais recente esforço da CE para atenuar a força avassaladora das tecnológicas norte-americanas no Velho Continente.

yoga

A Comissão Europeia vai analisar algumas das cláusulas patentes nos contratos da Amazon com as editoras. Particularmente, a investigação incidirá sobre as cláusulas segundo as quais a retalhista online requer que as editoras a informem de condições mais favoráveis que estas oferecem aos outros players do e-commerce, para que a Amazon possa beneficiar dos melhores termos.

Gigantes como a Google e a Apple estão sob o olhar atento e perscrutador do órgão executivo da União Europeia, que tem procurado enfraquecer o punho de ferro que as tecnológicas norte-americanas têm em torno do mercado europeu, para fomentar o crescimento e expansão das empresas europeias, muitas vezes sufocadas sob o peso de Silicon Valley.

Conta a Reuters que o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, avisara que a Europa estaria a adotar um postura de contornos protecionistas, a fim de combater a influência da esfera tecnológica dos EUA no mercado europeu. Paralelamente, Obama, segundo consta, está a procurar chegar a um acordo com o Bloco dos 28 para que possa ser firmado um acordo de mercado livre transatlântico, instigando a harmonia entre ambos os continentes.

No caso da Amazon, a Comissão Europeia receia que seja complicado para as congéneres europeias competirem com a retalhista norte-americana, tendo em conta a vantagem que esta tem sobre elas, derivada das cláusulas contratuais com as editoras dos livros.

Margrethe Vestager, a Comissária Europeia para a Competição, diz, citada pela agência noticiosa, que a investigação acontece em prol da defesa do consumidor, e para que este não seja prejudicado por uma eventual conduta monopolista por parte da Amazon.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor