Alemanha é o segundo país mais afetado pelo NoPetya

Segurança

A ESET recolheu dados de difusão do NoPetya e estes demonstram que a Ucrânia foi de longe o país mais afetado com 75 % das infeções, seguido da Alemanha com quase 10% e a Polónia com 5%. Estes três países correspondem a 90% do total das máquinas afetadas pelo ransomware do ataque que teve início na terça-feira.

Este novo ataque de ransomware à escala internacional está aparentemente relacionado com a família Petya, apesar de ser diferente, e explora o mesmo tipo de vulnerabilidade do WannaCry.

PETYA_SM_MAP

Um dos motivos avançados pelas empresas de cibersegurança para a menor disseminação deste malware é que em virtude do ciberatque ocorrido maio, muitos utilizadores e empresas  aplicaram o patch da Microsoft para que as máquinas deixassem de estar sujeita ao exploit EternalBlue. 

A verdade é que este novo ciberataque quase não chegou a alguns dos países mais afetados pelo WannaCry, como por exemplo Espanha e Portugal.

A empresa de software ucraniana M.E.Doc, cujo software de contabilidade é muito popular e usado em diferentes setores económicos da Ucrânia, foi considerado o “paciente zero” sendo esse o motivo que justifica a mais alta taxa de infeção nesse país.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor