Alcatel-Lucent reduz latência de redes Wi-Fi domésticas

OperadoresRedes

A Alcatel-Lucent acaba de lançar dois novos produtos que vão permitir que as operadoras possam oferecer aos seus clientes acessos ultrarrápidos à Internet de banda larga. Com a nova suite de serviços FTTH (fiber-to-the-home) e com o novo terminal de rede ótico (ONT), a empresa de telecomunicações quer fomentar a velocidade das redes Wi-Fi. Os

A Alcatel-Lucent acaba de lançar dois novos produtos que vão permitir que as operadoras possam oferecer aos seus clientes acessos ultrarrápidos à Internet de banda larga. Com a nova suite de serviços FTTH (fiber-to-the-home) e com o novo terminal de rede ótico (ONT), a empresa de telecomunicações quer fomentar a velocidade das redes Wi-Fi.

wifi

Os consumidores estão cada vez mais propensos a subscrever serviços de FTTH, “que oferecem velocidades de acesso de banda larga com centenas de megabits por segundo ou mesmo de gigabits por segundo”, de acordo com a Alcatel-Lucent.

Contudo, a empresa reconhece que estas velocidades são dificilmente mantidas quando as redes e ligações sem fios oferecem tráfego lento e pouca fiabilidade. Existe uma proporcionalidade inversa entre o número de dispositivos conectados à rede Wi-Fi e a velocidade do tráfego da mesma: quanto maior o número de terminais ligados à Internet menor será a velocidade de navegação.

A Alcatel-Lucent afirma que com o seu novo terminal de rede ótico, ou ONT Wi-Fi Gigabit, este problema é solucionado, pois consegue uniformizar a distribuição do sinal de banda larga por toda a habitação. Este ONT fornece, então, uma ligação Wi-Fi de banda dupla e um sinal mais potente. Desta forma, consegue oferecer velocidades de um gigabit por segundo e uma mais ampla cobertura. O problema do número de dispositivos sobrecarregar a rede Wi-Fi é, assim, mitigado.

Por outro lado, o ONT Easy Start, a mais recente adição ao leque de soluções FTTH da Alcatel-Lucent, permite que os fornecedores de serviços de telecomunicações minimizem “não só o tempo e o custo associados ao envio de um técnico às residências, mas também a inconveniência para os consumidores que têm que ficar a aguardar a visita do técnico enviado pelo operador a sua casa”, explicou a empresa em comunicado. Ademais, é dito que este novo serviço permite contornar o demorado processo manual de registo e atenua a possibilidade de ocorrência de erro humano, catalisando a eficiência das operadoras.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor