Active Space Technologies já está a trabalhar na missão a Marte 2018

CiênciaInovaçãoInvestigação

A empresa portuguesa de Coimbra está a participar na missão ExoMars 2016, que hoje realiza o lançamento de uma sonda e módulo de aterragem, e já está a trabalhar nos projetos para 2018.

No lançamento de hoje, a Active Space Technologies esteve envolvida no projeto térmico do lander que suportou os estudos para a comparação e escolha entre os locais de aterragem possíveis. A sonda Trace Gas Orbiter e um módulo de aterragem serão lançados da base espacial Baikonur, no Cazaquistão, no âmbito da ExoMars 2016. O objetivo da missão a Marte será “investigar a origem de determinados gases na atmosfera do planeta e avaliar se poderão ter origem biológica”, diz a Active Space.

O que a empresa de Ricardo Patrício e Bruno Carvalho está a fazer agora é a conduzir trabalhos de desenvolvimento para a missão ExaMars 2018, que inclui um rover. A empresa está envolvida em seis áreas: no fabrico das estruturas do módulo de descida; nos sistemas de teste do módulo de locomoção do rover; nos sistemas de testes dos aviónicos do rover; no protótipo da bateria do módulo de descida; e no fabrico de estruturas da antena de comunicação com a Terra.

Os protótipos para montagem e testes estão a ser desenvolvidos na sala branca de ambiente controlado da Active Space Technologies em Coimbra. A empresa, que foi incubada na Agência Espacial Europeia (ESA) há dez anos, trabalha exclusivamente para fora de Portugal mas mantém a sede em Coimbra.

“Este projeto enquadra-se nas competências e estratégia da Active Space Technologies que se tem especializado: projeto, fabrico e assemblagem em ambiente controlado de sistemas electro-mecânicos de alta precisão para os sectores espacial, aeronáutico e nuclear”, refere a empresa.

A ExoMars 2016 também conta com a participação de outra empresa portuguesa de Coimbra, a Critical Software.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor