Alcatel-Lucent quer aumentar capacidades da rede de fibra ótica em mais de dez vezes

EmpresasMobilidadeNegóciosOperadoresRedes
0 0 Sem Comentários

Os Bell Labs, a unidade de investigação da Alcatel-Lucent, registaram um avanço significativo relativamente ao seu objetivo de ultrapassar os limites de capacidade das redes óticas, numa altura em que estas lutam diariamente para responderem à explosão de tráfego esperada com a chegada das redes 5G e com a Internet das Coisas.

De acordo com um estudo da Bell Labs, os operadores de telecomunicações e as empresas estão a assistir a um rápido crescimento do tráfego de dados na rede. A taxa cumulativa anual já ultrapassa os cem por cento. Com a promessa da tecnologia sem fio 5G no horizonte, a Bell Labs estima que nos próximos dez anos haverá uma necessidade premente de sistemas de transporte ótico comerciais capazes de suportar uma capacidade da ordem dos petabits por segundo. 

Perante esta realidade que ameaça ultrapassar os limites de capacidade das redes de fibra ótica atuais, os Bell Labs apresentam uma tecnologia de redes óticas que pretende ajudar os operadores a endereçarem esta expansão: um sistema ótico MIMO-SDM em tempo-real.

De acordo com a empresa, a primeira demonstração mundial desta técnica MIMO-SDM dos Bell Labs possui o potencial de aumentar a capacidade atual de fibra de 10 a 20 Terabits-por-segundo para uma capacidade de Petabits-por-segundo – o equivalente a 1,000 Terabits/s. 

Através da técnica MIMO-SDM, os Bell Labs pretendem ultrapassar os limites de capacidade impostos pelo ‘limite de Shannon’ não linear da atual fibra ótica. Isto define o limite fundamental para a taxa máxima de transferência de informação sobre uma única fibra ótica usada nas atuais redes metropolitanas e nas redes de transporte de longo curso atuais.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor