CGI revela resultados do 4º trimestre e ano fiscal de 2015

GestãoNegóciosResultados

A CGI reportou receitas de 2,6 mil milhões de dólares no quarto trimestre de 2015, valor que traduz um crescimento de 4,1 por cento, comparativamente ao mesmo período do ano passado.

O EBIT ajustado fixou-se nos 379 milhões de dólares, para uma margem de 14,7 por cento, quando comparado com os 370,2 milhões de dólares registados no mesmo trimestre de 2014.

O lucro líquido, antes de itens específicos, foi de 260,4 milhões de dólares, ou 10,1 por cento da receita, face aos 234 milhões de dólares ou 9,4 por cento da receita conseguidos no 4º trimestre de 2014. O lucro por ação foi de 82 cêntimos, um aumento de 12,3 por cento comparativamente aos 73 centavos conseguidos o ano passado. Numa base GAAP, o lucro líquido foi de 232,9 milhões de dólares, ou 73 cêntimos por ação diluída, valor que compara com os 67 registados no mesmo trimestre do ano passado.

O fluxo de caixa gerado pelas atividades operacionais fixou-se nos 451,3 milhões de dólares, ou 17,5 por cento da receita, um aumento de 9,5 por cento face ao 4º trimestre de 2014. Durante o período em análise, a empresa fez amortizações líquidas de 120,8 milhões de dólares na dívida de longo prazo e procedeu à recompra de 5,1 milhões de ações, por um preço médio de 47,23 dólares, num investimento total de 238,5 milhões de dólares.

A empresa registou 2,9 mil milhões de dólares em prémios de contrato, ou 110 por cento da receita, representando um aumento de 39,4 por cento face ao mesmo período do ano passado. Durante os últimos doze meses foram registados 11,6 mil milhões de dólares em novos contratos, ou 113 por cento da receita. No final de setembro, os contratos em carteira da empresa somavam 20,7 mil milhões de dólares, um aumento de 2,5 mil milhões face ao 4º trimestre de 2014.

Resultados fiscais de 2015

A CGI reportou uma receita de 10,3 mil milhões de dólares no ano fiscal que terminou no dia 30 de setembro de 2015.

O EBIT ajustado foi de 1,5 mil milhões de dólares para uma margem de 14,2 por cento, quando comparado com os 1,4 mil milhões de dólares e com a margem de 12,9 por cento no ano fiscal de 2014.

“Esta solidez financeira coloca-nos numa posição muito positiva para continuarmos a investir na nossa estratégia de Build and Buy (Desenvolvimento e Aquisições), que visa criar os alicerces necessários para garantirmos um crescimento rentável durante o ano fiscal de 2016.”, diz, em comunicado, Michael E. Roach, presidente e Chief Executive Officer.

O lucro líquido, antes de itens específicos, aumentou em 12,5 por cento para mil milhões de dólares, ou 3,13 dólares por ação diluída, valor que compara com os 2,80 dólares por ação diluída registados em 2014. Numa base GAAP, o lucro líquido aumentou em 13,7 por cento para os 977,6 milhões de dólares ou 3,04 dólares em lucro por ação diluída, face aos 2,69 dólares por ação diluída registados no mesmo período do ano passado.

A empresa gerou 1,3 mil milhões de dólares em dinheiro proveniente de operações realizadas no ano fiscal de 2015, ou 4,01 dólares por ação diluída. Excluindo os custos de 74,3 milhões de dólares associados à integração, registados durante o ano, as operações geraram 1,4 mil milhões de dólares em dinheiro, valor que representa 4,24 dólares por ação diluída.

Como parte do seu Normal Course Issuer Bid, a empresa adquiriu 6,9 milhões de ações por 332,5 milhões de dólares, a um preço médio de 48,01 dólares.  

A dívida líquida foi reduzida em 333,7 milhões de dólares, para 1,8 mil milhões de dólares. Isto representa uma relação da dívida líquida sobre capitalização de 21,7 por cento, em comparação com os 27,6 por cento registados no final do ano fiscal de 2014.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor