Indra implementa sistemas biométricos em 7 aeroportos espanhóis e no porto de Algeciras

InovaçãoProjetos

A Indra concluiu a instalação de sistemas biométricos ABC (Automatic Border Control) em sete aeroportos espanhóis e no porto de Algeciras. Os sistemas foram concebidos para lidar com o aumento progressivo de passageiros nos aeroportos, bem como para melhorar o nível de segurança e conforto para os mesmos.

Em colaboração com o Corpo Nacional de Polícia e o Ministério do Interior espanhol, a empresa procedeu à implementação de 124 sistemas ABC nos aeroportos de Madrid, Barcelona, Girona, Palma de Maiorca, Alicante, Tenerife e Málaga.

É a primeira vez que este tipo de sistemas é instalado num porto, no caso na Estação Marítima de Algeciras. Em Algeciras o sistema permite o registo das entradas e saídas do Espaço Económico Europeu, também conhecido como espaço Schengen.

A tecnologia foi inicialmente testada nos aeroportos Adolfo Suárez Madrid-Barajas e Barcelona-El Prat, sendo que se encontra operacional desde 2010 em ambos os aeroportos como parte de um programa piloto pioneiro na Europa, ao que mais tarde se juntou o aeroporto de Málaga.

Para usufruir do sistema ABC, o passageiro terá de ser dirigir a um quiosque no qual introduzirá o seu documento de identificação eletrónico ou passaporte digital. Cada posto conta com um sensor de verificação da impressão digital e câmaras de reconhecimento facial. Posteriormente, o sistema verificará a autenticidade dos parâmetros biométricos e do documento digital, utilizando para tal uma base de dados policiais. Após o processo, os passageiros poderão seguir para a porta de embarque.

O projeto foi cofinanciado pela Comissão Europeia e faz parte do Programa de Fronteiras Inteligentes (Smart Borders). O seu objetivo passa pela integração de todas as fronteiras aéreas, marítimas e terrestres.

Atualmente, a Indra está igualmente a desenvolver a próxima geração de sistemas automáticos de controlo fronteiriços, pelo que lidera o projeto Europeu ABC4EU, financiado pela Comissão Europeia dentro do 7º Programa-Quadro em que participam 15 parceiros.

Até junho de 2017, a ação pretende harmonizar a gestão dos sistemas ABC no continente europeu. A ideia é que o viajante não detete diferenças no seu uso, independentemente do país em que se encontra ou do fornecedor que tenha implementado. Adicionalmente, intenta-se que qualquer viajante possa utilizar este sistema, mesmo não sendo natural ou residente de um país do espaço Schengen.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor