SAP aumenta receitas mas deixa cair os lucros 15 por cento [atualizado]

GestãoResultados

Apesar de as receitas da SAP terem superado as previsões, estimuladas pelo novo software da empresa, os lucros após impostos entre abril e junho diminuíram 15 por cento face ao período homólogo de 2014.

A empresa de software alemã divulgou esta terça-feira os resultados operacionais do segundo trimestre de 2015. A SAP anunciou receitas totais no valor de 4,97 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de 20 por cento face a igual período do ano passado. Na melhor das hipóteses os analistas esperavam 4,96 mil milhões de euros em ganhos, mas a nova oferta de cloud da companhia, que permite um melhor tratamento e análise de dados, alavancou as vendas.

Quando olhamos para os lucros, o cenário é menos animador. A SAP viu o seu resultado líquido diminuir 15 por cento em relação ao segundo trimestre de 2014, ficando-se pelos 471 milhões de euros. Na origem desta quebra, diz o Wall Street Journal, citando a empresa, estarão custos associados a aquisições, gastos de reestruturação e maiores remunerações das ações.

Também no primeiro trimestre de 2015 a especialista em software empresarial enfrentava uma diminuição de 23 por cento nos lucros. A explicar esta situação pode estar o facto de a empresa ter desviado o seu foco de negócio do software on-premise para as ofertas de cloud baseadas na internet, em que a rentabilidade se distribui por contratos mais longos.

Já o lucro operacional, que resulta das atividades centrais da empresa, sofreu um aumento de apenas um por cento, chegando aos 1,39 mil milhões de euros. De facto, a margem operacional da SAP mostra que a companhia teve dificuldade em transformar as receitas em resultado operacional. Este indicador atingiu os 28 por cento, representando uma quebra de 1,8 pontos percentuais em comparação com o mesmo período do ano passado.

No entanto, registou-se um aumento de 129 por cento nas subscrições de serviços via cloud e de 12 por cento na venda de licenças de software, em comparação com o período homólogo de 2014.

No início do ano, a SAP voltava atrás com a previsão inicial de 35 por cento para a margem operacional de 2017, sem ter ainda avançado com um novo valor. Mas, em declarações ao Wall Street Journal, o CEO, Bill McDermott, mostrou confiança num retorno positivo dos investimentos que a empresa realizou na área da cloud.

A SAP manteve a sua estimativa para o lucro operacional de 2015, que varia entre os 5,6 mil milhões e os 5,9 mil milhões de euros. No ano passado, este valor atingiu os 5,6 mil milhões euros.

A B!T procurou saber se o negócio da SAP Portugal foi afetado pela queda dos lucros da empresa-matriz, mas fontes oficiais disseram que não estão autorizadas, a nível corporativo, a fazer quaisquer comentários acerca da prestação das subsidiárias da SAP.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor