Importância das soluções de gestão de aplicações de negócio da CCSS é reconhecida

EmpresasNegócios

Esta mesma técnica, que também faz uso de um programa desenvolvido e personalizado in-house, pega nos registos centralizados no Advanced Job Scheduler, a partir dos quais os relatórios são gerados e partilhados com outros membros da equipa e da administração.

A CESCE SI, uma empresa do Grupo SIA e a CCSS, uma empresa fornecedora de soluções para IBM Power Systems, anunciam que a GEODIS BM, uma das mais bem conhecidas empresas de logística em França, escolheu as soluções de gestão de sistemas QSystem Monitor (QSM) e QMessage Monitor (QMM) para dar resposta às necessidades 24/7 da sua plataforma IBM i Power System. A partir de um ambiente de TI centralizado em Mery, França, um grupo de 115 pessoas é assim capaz de assumir-se como responsável por áreas tão importantes como o centro de dados, o suporte, a infraestrutura e o desenvolvimento, dando resposta às necessidades de uma base de aproximadamente 5.000 utilizadores finais. Em nome das divisões Geodis Logistics e Geodis Supply Chain Optimization, uma equipa dedicada de oito profissionais administra duas máquinas IBM Power 770 (cada um com 24 partições de CPU) que albergam algumas das mais críticas e fundamentais aplicações de negócios para os utilizadores, nomeadamente os sistemas de armazém e de gestão de transporte.

A partir de agora, a equipa Geodis pode fazer um uso extensivo da solução QSystem Monitor (QSM) para resolver em tempo real problemas relacionados com desempenho ou histórico. Usando um exemplo recente, Delio Amato destaca a diferença de abordagem entre a solução QSM e as suas opções anteriores, quando confrontado com um problema semelhante: “Tivemos um trabalho em looping que consumia cada MB de RAM disponível num servidor crítico. Com QSM não demorámos mais do que cinco minutos para configurar um monitor capaz de descobrir esse trabalho entre 3.000. Apenas configurámos um simples monitor de armazenamento temporário, por subsistema e para cada subsistema (mais de 100 no servidor). Sem a solução QSM, a única opção seria realizar um IPL ao servidor a meio da manhã, o que teria um enorme impacte sobre o negócio. Este evento em particular revela bem o valor que a solução QSM pode efetivamente proporcionar.” Dois ecrãs de grande dimensão dão a visão geral da QSM em termos de desempenho do sistema, mantendo as equipas em contacto com a situação em tempo real. Os trabalhos críticos de EDI também são monitorizados, sendo neste caso auxiliados pela criação de alertas de áudio como uma salvaguarda de segundo nível por forma a garantir que a equipa do centro de dados seja capaz manter uma postura pró-ativa face à resolução de problemas mais urgentes.

De acordo com Delio Amato, Production Systems Manager da Geodis BM, esta é uma medida que revela quão dependente as operações de negócios estão do ambiente de TI que as suporta. “Atividades como o fornecimento do armazém em instalações automóveis são negócios extremamente sensíveis ao tempo. Os sistemas de armazém (e seus serviços de EDI) simplesmente não podem ser executados sem que as TI que os suportam estejam em condições ótimas e disponíveis. Num negócio disponível de forma 24×7, durante os 365 dias do ano, a margem de erro ou de atraso é praticamente zero. Qualquer coisa que interrompa o desempenho ou a disponibilidade tem um impacte imediato no negócio pela negativa”.

A monitorização e a gestão de mensagens através da solução QMessage Monitor permitem à equipa fazer um melhor uso do seu tempo, identificando mensagens de exceção em tempo real processando-as de acordo com o status de prioridade. Por forma a ampliar os benefícios da solução QMM, a Geodis executa uma interface para o seu próprio sistema de gestão de incidentes por forma a aplicar os mesmos procedimentos de escalonamento. De acordo com Delio Amato, “desta forma reduzimos significativamente o tempo gasto pelos nossos administradores para abrir e resolver incidentes reportados nos sistemas”.

A monitorização por QMM da solução BRMS também ajuda a equipa, dando-lhe uma visão centralizada dos registos para que seja possível, a partir daqui, exportá-los para uma tabela de base de dados. Esta mesma técnica, que também faz uso de um programa desenvolvido e personalizado in-house, pega nos registos centralizados no Advanced Job Scheduler, a partir dos quais os relatórios são gerados e partilhados com outros membros da equipa e da administração.


Autor: admin
Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor