Como fazer crescer o seu negócio com o Facebook

e-Commercee-MarketingRedes Sociais

Na sequência da parceria celebrada entre a Associação Nacional das Pequenas e Médias Empresas (ANPME) e o Facebook, realizaram-se três sessões de formação gratuitas, em Lisboa, Coimbra e Porto, onde centenas de empresários e empreendedores puderam adquirir e sistematizar conhecimentos para potenciarem os seus negócios através da rede social.Conjugando os objetivos de ajudar as pequenas

Na sequência da parceria celebrada entre a Associação Nacional das Pequenas e Médias Empresas (ANPME) e o Facebook, realizaram-se três sessões de formação gratuitas, em Lisboa, Coimbra e Porto, onde centenas de empresários e empreendedores puderam adquirir e sistematizar conhecimentos para potenciarem os seus negócios através da rede social.DSC_3173 2Conjugando os objetivos de ajudar as pequenas e médias empresas (PMEs) nacionais a maximizarem as ferramentas à sua disposição, por um lado, e de mostrar todas as valências dessas ferramentas na maior rede social do mundo, a ANPME e o Facebook juntaram especialistas e protagonistas de case studies que apresentaram a sua visão.

A sessão de Lisboa decorreu a 27 de outubro no auditório da Xerox. A abertura foi feita por Nuno Carvalinha, Presidente da ANPME, que destacou a importância das redes sociais para as PMEs por permitirem comunicar com baixo investimento e para um target específico, seja ele local ou internacional.

Natalia Basterrechea, diretora de Assuntos Públicos do Facebook, referiu a importância das empresas desta dimensão para a economia nacional, no sentido em que compõem a esmagadora maioria do nosso tecido empresarial. Falando em português, a responsável da rede social destacou ainda um estudo que realizaram em conjunto com a Delloite no sentido de entenderem a importância do Facebook na Europa e onde chegaram à conclusão de que trabalhar nas ofertas para as PMEs seria um caminho a trilhar.

A especialista da equipa do Facebook para as PMEs, Nerea Llorca, efetuou depois a sua apresentação em que procurou passar à audiência os benefícios que os seus negócios podem retirar de uma presença contínua e profissional na rede social. Partindo do exemplo de um antigo negócio dos seus avós, uma loja de bairro, destacou a possibilidade de as marcas e empresas contactarem com os clientes de forma personalizada e para lá do negócio.

“O Facebook é, para os utilizadores, a experiência mais personalizada dos nossos dias e permite às empresas fazerem marketing personalizado em larga escala”, disse Nerea, enquanto lembrava que há alguns anos, só meios mais caros como a televisão ou a imprensa permitiam campanhas de comunicação de massas mas que os orçamentos eram proibitivos para empresas de menor dimensão.

Nerea defende ainda que a rede social entrega aos empreendedores, “instantaneamente, uma estratégia de marketing mobile”, o que é fundamental pois são cada vez mais os utilizadores de Facebook nos smartphones e isso permite às marcas estarem em constante contacto com os seus públicos.

A especialista do Facebook deixou alguma dicas sobre como ter sucesso na rede social. Ser relevante é o principal fator: “falar com os fãs e não para os fãs”, com mensagens curtas e apelativas é fundamental. O conteúdo a publicar deve ser variado (vídeos, fotos, links, etc.) e a página deve sempre refletir a personalidade da marca. Os vídeos devem ser carregados diretamente na plataforma ao invés de usarem os links do Youtube ou outros sites do género.

Ainda em relação às ferramentas disponíveis, Nerea destacou a opção de promover determinados posts, que devem ser bem escolhidos pelo utilizador, de acordo com o timing e o target a atingir, e também dos insights que permitem medir o sucesso, sendo fundamentais para preparar campanhas futuras, servindo de barómetro.

Nestas sessões, foram apresentados case studies de três empresas portuguesas que otimizaram com sucesso os seus negócios através do Facebook. Diogo Cruz, CEO da Vertty, explicou como conseguiu potenciar o negócio de venda de toalhas de praia de design, ideia que “pescou” enquanto surfava na Austrália.

Para que o negócio fosse sustentável, Diogo percebeu que tinha de procurar vender para todo o mundo, de imediato e, por isso, a criação de uma loja online, potenciada com uma página de Facebook foram fundamentais. O empreendedor português acredita que o segredo do sucesso foi, tal como Nerea Llorca também referiu, criar conteúdo relevante. “A maior parte das PMEs apenas usa o Facebook para dizer ‘estou aqui’”, lamentou Diogo Cruz, defendendo que é fundamental ser apelativo para captar atenção das pessoas que dedicam pouco tempo a cada post que vêm na sua cronologia.

O Martinhal é um resort que conseguiu aumentar em 75% os seus fãs em apenas 18 meses. Foi outro dos case studies em destaque nestas sessões. Rosa Santos, a responsável de marketing, explicou que a estratégia passou por aumentar gradualmente o investimento publicitário no Facebook, promovendo ofertas e pacotes especiais e direcionando cuidadosamente os seus anúncios para diferentes áreas geográficas, bem como para anteriores e potenciais clientes. Neste momento, 26% do tráfego do seu site é impulsionado pela rede social.

O outro dos casos reais apresentado foi o da Home Lovers. Magda Tilli, a CEO, destaca o facto de a marca ter nascido no Facebook, ou seja, foi este o canal escolhido para a interação com o público-alvo e isso permitiu-lhes contruírem uma marca com um investimento nulo, usando apenas o seu tempo. Magda e Miguel Tilli, os fundadores, acreditam que cada casa tem a sua própria história, com detalhes surpreendentes e uma identidade própria e assim segmentaram o seu público-alvo, direcionando conteúdo apenas para utilizadores do Facebook com um determinado conjunto de interesses. 90% dos seus negócios são hoje gerados através da rede social.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor