HP lança plataforma para Computação Mission-Critical

EmpresasNegócios

Ao contrário do que faz a concorrência, a HP oferece uma única plataforma de abordagem aberta e integrada.”

Através da utilização de tecnologia avançada numa comum e modular arquitectura HP BladeSystem, a HP está a desenvolver plataformas, que permitam aos seus clientes escolherem o melhor ambiente possível, alinhado com as necessidades das organizações e sem quaisquer compromissos, traduzindo-se numa mais-valia que assegura a protecção do investimento a longo prazo.

De acordo com Pedro Morais, Division Manager, Business Critical Servers, da HP Portugal, “este anúncio coloca a HP na liderança do oferta Mission Critical usando tecnologia x86 e Open Source. Vamos colocar o Linux e o Windows no mundo verdadeiramente Mission Critical através da utilização nestes ambientes de propriedade intelectual que até hoje só existia em HP-UX. Os ambientes HP-UX, OpenVMS e NonStop, vão seguir o seu roadmap com processadores Itanium e vamos poder partilhar as enclosures dos Superdomes2 e C-Class com estes ambientes a nova oferta x86.

Este projecto Odyssey redefine o mundo Mission Critical unificando a oferta Itanium e X86, protegendo os investimentos de clientes em Tecnologia Blade Integrity  e Superdome2.”O roadmap da HP inclui inovações em curso relacionadas com os servidores HP Integrity, os sistemas HP NonStope os sistemas operativos HP-UXe OpenVMS.

Este roadmap prevê ainda a disponibilização de servidores blade com processadores Intel Xeon para o gabinete HP Superdome 2(cujo nome de código é “DragonHawk”) e enclosures de servidores blade c-Class (com o nome de código “HydraLynx”), fortalecendo os ambientes Windows e Linux com as inovações do sistema HP-UX durante os próximos dois anos.

Com a disponibilidade do “DragonHawk”, os clientes vão ser capazes de executar aplicações mission-critical em sistemas HP-UX com servidores blade baseados em arquitecturas Intel Itanium, correndo em simultâneo tarefas exigentes em ambientes Microsoft Windows ou Red Hat Enterprise Linux e em servidores blade Intel Xeon no mesmo ecossistema Superdome 2.

De acordo com Pedro Morais, Division Manager, Business Critical Servers, da HP Portugal, “este anúncio coloca a HP na liderança do oferta Mission Critical usando tecnologia x86 e Open Source. Vamos colocar o Linux e o Windows no mundo verdadeiramente Mission Critical através da utilização nestes ambientes de propriedade intelectual que até hoje só existia em HP-UX. Os ambientes HP-UX, OpenVMS e NonStop, vão seguir o seu roadmap com processadores Itanium e vamos poder partilhar as enclosures dos Superdomes2 e C-Class com estes ambientes a nova oferta x86.

“Os clientes têm vindo a solicitar-nos a expansão da experiência mission-critical, que é hoje disponibilizada pelo sistema HP-UX em servidores Integrity, para infra-estruturas baseadas em arquitecturas x86”, disse Martin Fink, senior vice president & general manager,Business Critical Systems, da HP.

“A HP pretende transformar o mercado de servidores para a computação mission-critical, usando a flexibilidade da arquitectura HP BladeSysteme incorporando tecnologias-chave inovadoras da HP das soluções Integrity e HP-UX no ecossistema x86. Ao contrário do que faz a concorrência, a HP oferece uma única plataforma de abordagem aberta e integrada.”


Autor: admin
Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor