Em 2020, 70% dos utilizadores serão móveis

Mobilidade
0 14 Sem Comentários

De acordo com o relatório anual Cisco Visual Network Index (VNI) Mobile, o aumento de dispositivos inteligentes, vídeo móvel e redes 4G vai multiplicar por 8 o tráfego global de dados móveis nos próximos cinco anos.

Em 2020 haverá 5.500 milhões de utilizadores móveis à escala global (70% da população mundial, com uma média de 1,5 conexões per capita. Esta é a principal conclusão da décima edição do Relatório Cisco Visual Networking Index (VNI) Sobre o Tráfego Global d dados Móveis 2015-2020 apresentado hoje pela Cisco, que indica também que o aumento expressivo da adoção de dispositivos móveis, o aumento de cobertura móvel por redes 4G e a crescente busca de conteúdo móvel – incluindo vídeo – farão com que se multiplique por 8 o tráfego de dados móveis nos próximos cinco anos.

O relatório da Cisco revela ainda que os dispositivos e conexões móveis inteligentes deverão representar 72% do total de dispositivos e conexões móveis em 2020 (36% em 2015). Estes dispositivos inteligentes deverão gerar 98% do tráfego de dados móveis em 2020 e, do ponto de vista dos dispositivos, os smartphones vão dominar o tráfego móvel, perfazendo 81% do total de tráfego móvel em 2020 – 76% que em 2015. A proliferação dos dispositivos móveis – incluindo phablets, uma mistura híbrida de smartphone e tablet –  está a aumentar, razão pela qual mais pessoas terão telefones móveis (5,4 mil milhões) do que eletricidade (5,3 mil milhões) e carros (2,8 mil milhões) em 2020.

O vídeo móvel terá a maior taxa de crescimento de qualquer aplicação móvel: consumidores e profissionais ligados ao negócio exigem maior resolução de vídeo, mais largura de banda e a velocidade de processamento vai aumentar a utilização de dispositivos conectados a 4G. Prevê-se que a partilha de conectividade 4G represente mais de 70% de todo o tráfego móvel e que a 4G venha a gerar quase seis vezes mais tráfego por mês até 2020 que as restantes conexões.

Projeções e Tendências de Tráfego Móvel de Dados

Tráfego Móvel de Dados não mostra sinais de abrandamento:

  • Em 2020:
    • O tráfego global de dados vai atingir 30,6 exabytes por mês, mais 3,7 exabytes que em 2015;
    • O crescimento anual do tráfego móvel de dados vai atingir 366,8 exabytes, mais 44,2 exabytes que em 2015;
  • A previsão de taxa anual de 366,8 exabytes de tráfego de dados móveis para 2020 é equivalente a:
    • 120 vezes mais que o tráfego global gerado 10 anos antes, em 2010.
    • 81 biliões de imagens de MMS ou Instagram por exemplo, 28 mensagens diárias por cada pessoa existente no planeta durante um ano;
    • 7 biliões de clips de vídeo de Youtube, por exemplo, mais que 2,5 clips vídeo por pessoa no planeta durante um ano.
  • De 2015 a 2020, o tráfego global de dados móveis vai crescer duas vezes mais rápido que o tráfego global de IP fixo.
  • Em 2015, 51% to total do tráfego foi descarregado; em 2020, este total deverá ser de 55%.
  • Em 2020, mais de 75% do tráfego móvel de dados vai ser vídeo.

Os dispositivos e conexões móveis estão a tornar-se mais inteligentes

  • Haverá 11,6 mil milhões de dispositivos/conexões preparados para a mobilidade, incluindo 8,5 mil milhões de dispositivos móveis pessoais e 3,1 mil milhões de conexões M2M (machine-to-machine) – mais de 7,9 mil milhões de dispositivos preparados para a mobilidade e conexões M2M que em 2015.
  • A nível global, 67% dos dispositivos móveis/conexões serão inteligentes em 2020 – mais 36% que em 2015.
  • A nível global, 98% do tráfego móvel será realizado a partir de dispositivos/conexões inteligentes, mais 89% que em 2015;
  • Smartphones, portáteis e tablets irão gerar cerca de 92% do tráfego global de dados móveis em 2020. Em 2015, o registo era de 94%. O tráfego M2M vai representar 7% do tráfego móvel de dados em 2020, ao passo que em 2015 o valor foi de 3%; ao passo que os telefones representarão 1% do tráfego global de dados móveis em 2020 (em 2015 representaram 3%).
  • Em 2020:
    • 66% dos dispositivos/conexões móveis estarão adaptados a IPv6 (em 2015, eram 36%).
    • O tráfego IPv6 representará 54% do total de tráfego de dados móveis (13% em 2015).

Dispositivos ‘wearable’ e conexões Machine-to-Machine (M2M) continuam a crescer

O conceito de M2M refere-se a aplicações que habilitam sistemas wireless e por cabo a comunicar com outros dispositivos com as mesmas capacidades (por exemplo GPS/Navegação, localização de recursos, contadores para serviços públicos básicos, segurança/videovigilância, monitorização de saúde, entre outros). Já os dispositivos ‘wearable’ podem ser utilizados (por exemplo relógios inteligentes e outros monitores de saúde) e comunicar diretamente via Bluetooth, WiFi e outros, quer através de conectividade celular integrada ou através de outros dispositivos (quase sempre um smartphone). Os ‘wearable’ são considerados uma subcategoria do M2M nesta previsão.

  • Em 2020, as conexões M2M vão representar 26,4% dos dispositivos móveis conectados (em 2015 representavam 7,7%).
  • Em 2020, as conexões M2M vão gerar 6,7% do total do tráfego móvel (2,7% foi o valor de 2015).
  • A nível global, os ‘wearables’ vão crescer seis vezes entre 2015 e 2020.
  • Em 2020 existirão mais de 600 milhões de dispositivos móveis em utilização (em 2015 era mais de 97 milhões).

Aumento da velocidade da rede móvel e aumento das conexões 4G

As velocidades da rede móvel vão aumentar 3,2 vezes entre 2015 (2,0 Mbps) e 2020 (6,5 Mbps). A adoção global da 4G será o principal catalisador das melhorias da velocidade móvel.

  • Em 2020:
    • As conexões 4G representarão 40,5% de todas as conexões móveis (em 2015 eram 13,7%).
    • As conexões 3G representarão 38,7% de todas as conexões móveis (33,7% em 2015).
    • As conexões 2G representarão 13,5% de todas as conexões móveis (em 2015 eram 52,3%).
  • O tráfego 4G vai crescer 13 vezes entre 2015 e 2020.
  • Em 2020 as conexões 4G representarão 72% to total de tráfego de dados móveis (este valor era de 47% em 2015)

 Os hotspots de WiFi estão a crescer

  • A nível global, o total de hotspots WiFi – incluindo pontos de acesso domésticos – irá crescer 7 vezes entre 2015 (64 milhões) e 2020 (432 milhões). Na mesma escala, os pontos de acesso domésticos vão crescer de 57 milhões em 2015 para 423 milhões em 2020.
  • Em 2015, o tráfego de descarga WiFi mensal (3,9 exabytes) excedeu o tráfego celular/móvel mensal (3,7 exabytes) pela primeira vez.
  • Em 2020, 38,1 exabytes de tráfego de WiFi serão descarregados mensalmente, continuando a ultrapassar o tráfego móvel/celular esperado (30,6 exabytes).

 Crescimento da Voice-over-WiFi (VoWiFi)

Com o crescimento e aumento da importância a nível de mobilidade das tecnologias WiFi, o estudo deste ano compara novamente a VoWiFi com outros serviços de voz. As ofertas anteriores de VoWiFi tinham limitações que afetavam a adoção e a experiência do utilizador final. A melhoria verificada hoje faz com que os serviços VoWiFi estejam disponíveis também para dispositivos sem cartão SIM, tais como tablets apenas com opção de WiFi.

  • Este ano, a VoWiFi vai exceder a VoLTE no número de minutos utilizados anualmente.
  • Em 2018, a VoWiFi vai ultrapassar o a VoIP em número de minutos utilizados anualmente.
  • Em 2020, o número de minutos de VoWiFi será metade – 53% – de todo o tráfego móvel IP.
  • Em 2020, o número de tablets e PCs com conexão WiFi (1,7 mil milhões) será três vezes mais o número de tablets e PCs celulares (548 milhões).

Taxas de Crescimento de Tráfego de dados Móveis entre 2015 e 2020

  • Médio Oriente e África – vai multiplicar-se por 15
  • Ásia-Pacífico – vai multiplicar-se por 9
  • Europa Central e de Leste – vai multiplicar-se por 8
  • América Latina – vai multiplicar-se por 8
  • Europa Ocidental – vai multiplicar-se por 6
  • América do Norte – vai multiplicar-se por 6

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor