Mais de 10% do valor levantado em ICOs é roubado

EmpresasNegóciosStartup

Um estudo da Ernst & Young descobriu que mais de 10% dos fundos levantados através de ICO são perdidos ou roubados através de ataques de hackers.

Um estudo da Ernst & Young descobriu que mais de 10% dos fundos levantados através de ICO são perdidos ou roubados através de ataques de hackers. Este estudo mostra o perigo de investir em projetos de criptomoedas.

A Ernst & Young analisou mais de 372 ICOs e descobriu que quase 400 milhões de um total de 3,7 mil milhões de dólares que foram levantados através destas operações foram roubados.

O phishing foi a técnica mais utilizada, segundo o relatório; esta técnica terá dado cerca de 1,5 milhões de dólares por mês a hackers.

O estudo nota que o volume de ICOs tem diminuído, principalmente no final do último ano. Apenas 25% dos ICOs terá atingido o seu objetivo no mês de novembro de 2017, em comparação com os 90% em junho do mesmo ano.

Este estudo chega numa altura em que o mercado das criptomoedas está em alvoroço. O valor de uma Bitcoin, assim como das mais populares criptomoedas, tem descido vertiginosamente. Por outro lado, várias empresas recentes recebem centenas de milhões de dólares para financiar o seu projeto que, por norma, tem poucos empregados e onde o seu plano de negócios passa por um white paper.

Nota o relatório da Ernst & Young que os desafios das mais recentes ICOs se deve, principalmente, à fraca qualidade dos projetos, assim como problemas que emergiram à volta dos primeiros projetos a encontrarem o seu financiamento através desta forma.

As empresas que são financiadas através de ICOs estão, na maioria das vezes, a construir uma nova tecnologia ou plataforma, ou a tentar financiar negócios que utilizem criptomoedas e blockchain. Ainda assim, muitos destes projetos, nota a Ernst & Young, não justificam o porquê de precisarem de blockchain ou de criptomoedas nos seus projetos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor